Inania Verba - Olavo Bilac



Projeto Renascimento

Inania Verba

Olavo Bilac


Ah! Quem há de exprimir, alma impotente e escrava,
O que a boca não diz, o que a mão não escreve?
- Ardes, sangras, pregada à tua cruz, e, em breve,
Olhas, desfeito em lodo, o que te deslumbrava…

O Pensamento ferve, e é um turbilhão de lava:
A Forma, fria e espessa, é um sepulcro de neve...
E a Palavra pesada abafa a Idéia leve,
Que, perfume e clarão, refulgia e voava.

Quem o molde achará para a expressão de tudo?
Ai! quem há de dizer as ânsias infinitas
Do sonho? e o céu que foge à mão que se levanta?

E a ira muda? e o asco mudo? e o desespero mudo?
E as palavras de fé que nunca foram ditas?
E as confissões de amor que morrem na garganta?!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Abrimos o projeto Renascimento do mês de Junho com Olavo Bilac. Infelizmente, poucos são os brasileiros que conhecem esse monstro da poesia brasileira e um dos gênios incompreendidos dessa nossa nação. Com poemas fortes e cheios de sentimento, esse autor ganha essa singela lembrança nas páginas do nosso site com o intuito de lembrar um pouco do sentimento que nossa língua pode exprimir ainda que coberta de floreios e jogos de palavras.

Seleção por Lucas Alves Serjento

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O Projeto Renascimento é uma iniciativa do site Enchendo Estantes - Uma tentativa de chamar a atenção das pessoas para autores clássicos e a beleza de obras que correm o risco de cair no esquecimento.
Como o objetivo do projeto é ser acessível, os textos aqui colocados serão de autores pertencentes ao domínio público, logo, suas obras podem ser encontradas no site www.dominiopublico.gov.br, de modo a não ser infringida nenhuma lei de direitos autorais.
Eventuais obras estrangeiras aqui expostas terão traduções feitas pela equipe do site, de modo a não incorrer em quebra de eventuais direitos de tradutores nacionais.
O autor escolhido para abrir o projeto é Luís Vaz de Camões justamente por representar, com poucas palavras, a beleza e distinção inerentes à língua portuguesa, ainda que em pequenas amostras, como no caso de seus Sonetos, demonstrando a riqueza de um estilo já tão explorado e que em suas palavras permanece tão jovem.

Não se esqueça de nos seguir no twitter (@Enchendoestante) e de curtir a página do facebook (EnchendoEstantes) para saber das novidades!

Comentários